sexta-feira, 8 de janeiro de 2010


INTENTO



Não dispenso nada:


quero minha rede


presa nas estrelas


e a esperança sóbria


pelas madrugadas.


Se a sereia canta


quero sua canção,


se o mar se agita


na arrebentação


isso não me espanta.


Se o templo ruir


sobre os sonhos meus,


dormirei em brumas


que nova utopia


há de me surgir.


Basilina Pereira

Um comentário:

Gladis disse...

Belo intento amiga !!!
Recheado de esperanças e espectativas.
BRAVO !
Beijos com carinho.