domingo, 19 de abril de 2015

BRASÍLIA, MINHA CASA

Uma homenagem pelos 50 anos da Capital

Foi difícil amar Brasília, confesso.
Seu jeito de princesa pós-moderna,
tão longe da minha pequena cidade!
suas retas sisudas,
embebidas em cimento queimado,
como se quisessem petrificar o horizonte.
Algumas curvas...sim,
mas de aparência tão gélida,
que eu conseguia sentir seu frio na retina.
Mas pouco a pouco, suas facetas foram se mostrando,
e eu fui me encaixando na textura do cerrado,
e sendo tomada por um céu tão azul
que custava a caber na palavra.
E os ipês então? de fazer inveja aos girassóis.
Foi aí que me rendi
e hoje, Brasília é a minha casa!

Basilina Pereira

2 comentários:

Clau Assi Poesias disse...

Que linda homenagem, amiga!! Sempre tão bom te ler.
Beijo ternurento
Clau Assi

Basilina disse...

Obrigada, Clau. Sempre uma alegria receber sua visita por aqui. Grande abraço;