quarta-feira, 2 de abril de 2014

CINEMA PARADISO


CINEMA PARADISO

 

De onde vem esse acorde tão sutil

que encampa o arco-íris,

faz os pés flutuarem sobre nuvens

e o coração desprender-se

de sua rota habitual?

 

Não consigo abraçar as notas

que se beijam num compasso sideral,

mas sinto vibrações  de cristais macios

e sigo...adentro...entrego-me.

Sou borboleta em dia de sol.

 

Viajo entre risos e lágrimas

envolta pela harmonia suave da música.

Um anjo sonoro encontrou a chave

e abriu todas as comportas

do tempo que esteava a emoção.

 

Basilina Pereira

 

2 comentários:

Clau Assi Poesias disse...

Para não terminar o dia sem saborear poesia, aqui estou eu!!
Me deliciando!!!
Ahh este filme...ele é pura poesia....

Beijo ternurento

Basilina disse...

Obrigada, Clau. Realmente eu tb adoro esse filme e a música pra mim é perfeita. Feliz com sua visita. Bjos.