sábado, 13 de março de 2010

KAMA SUTRA


KAMA SUTRA


O poema é vento ousado


quando o assunto é poesia,


o amor tem que ser versado


seja noite ou seja dia.


Seu compasso busca a lavra,


balança o abraço invertido


e no orgasmo da palavra,


tudo muda de sentido.


Nada pode ser banal:


seu limite é o universo,


vale até rima carnal


nas entrelinhas do verso.


Basilina Pereira



Um comentário:

Carlos Rímolo disse...

Querida amiga e grande poetisa Basilina!!!
Muito lindo o poema, como tudo que escreves. Adorei. Meus parabéns!
Beijos de luz e poéticos em teu coração!

POETA CIGANO - 22/03/2010

carlosrimolo.blogspot.com

Obs:Obrigado pelas palavras de carinho em meu Blog. Beijão!!!!!!