sexta-feira, 15 de abril de 2016

PRANTO SECO




PRANTO SECO

Um pingo de tinta em forma de lágrima.
Era para ser seco o pranto,
sem massa nem dor. Isento.
Imerso na escuridão do nunca,
feito o olhar dentro da moldura.
A saudade...clara e abstrata lembra o momento da partida
e flutua íntegra na sua posição de asa.
Outros gestos?
Talvez depois, quando se voltar a falar de amor.
          
Basilina Pereira

Um comentário:

Clau Assi Poesias disse...

Boa tarde, blog querido!!
Aproveitando a tarde da sexta-feira pra vir te visitar e sair encantada.
Muito bom estar por aqui!

Beijo ternurento
Clau Assi