segunda-feira, 18 de maio de 2009

O SILÊNCIO O silêncio é ancestral. Nele vivemos as angústias passadas e os medos futuros... Quando ele se quebra nem sempre é a fonte que jorra, não é como descobrir uma mina: espontânea, gratuita, fácil... Impera uma impressão de sufoco apto a impedir o próximo passo nesse deserto de existência muda. E como dói... Basilina Pereira

3 comentários:

REGGINA MOON disse...

Maravilhoso Blog e Poemas!!!

Parabéns sempre, poetisa!!!

Beijos,

Reggina Moon

SIGRID SPOLZINO disse...

Basi,pode até doer...Mas, vem costuma vir carregado de imensa inspiração, deixando para quem lê, enorme admiração. Sou tua fã, cê sabe, né? Baci, poeta querida!

Larissa PS Oliveira disse...

A senhora escreve tão bem! Adorei o blog e os poemas.